BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
25/05/2021
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
CREA-RS Entrevista: Manejo Florestal, com o Eng. Florestal Edison Cantarelli

Dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que 2020 foi o segundo pior ano de desmatamento na Amazônia Legal desde 2015, com um total de 8.426 km² atingidos. Este número só é inferior ao recorde histórico de 2019, com 9.178 km². Queimadas e desastres ambientais também vêm se agravando devido ao uso ilegal e irresponsável dos recursos naturais, entre eles os florestais.

Do outro lado desse quadro, o manejo florestal segue contribuindo para um uso sustentável dos recursos florestais. No CREA-RS Entrevista de hoje, o coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Florestal do Conselho (CEEF), Eng. Florestal Edison Cantarelli, nos explicou qual é a diferença entre o manejo florestal e o desmatamento e como é possível conciliar exploração e sustentabilidade. 

CREA-RS: O que é manejo florestal?

Eng. Florestal Edison Cantarelli: O manejo florestal é o uso sustentável dos recursos florestais sem alteração do uso do solo, ou seja, mesmo com a retirada de algumas árvores ocorre a permanência dos serviços ecossistêmicos da floresta. Recentemente, muito se tem debatido sobre a temática ambiental, notadamente sobre a Floresta Amazônica, principalmente, devido ao aumento das taxas de desmatamento e uso do fogo naquela região. A Lei nº 12.651/12 de Proteção às Florestas Nativas define o manejo florestal sustentável como: “A administração da vegetação natural para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema objeto do manejo.”

CREA-RS: Qual é a diferença entre manejo florestal e desmatamento?

Eng. Florestal Edison Cantarelli: O manejo florestal é um processo antagônico ao desmatamento, já que busca a conservação da floresta em pé, enquanto o desmatamento a destrói, retirando todas as árvores através do corte raso da floresta e alterando o uso do solo. Ou seja, o desmatamento retira na totalidade a floresta nativa para transformar a área em uso agrícola ou pecuária e causa impactos ambientais notórios, como a perda da biodiversidade, extinção de espécies, erosão do solo, poluição do ar e diminuição do ciclo hidrológico.
Já, no manejo florestal, é realizado um estudo técnico das árvores que já atingiram o clímax da maturidade e que já não sequestram tanto carbono quanto as árvores que ainda estão em desenvolvimento. Essas árvores naturalmente iriam morrer e, com o manejo florestal, dão espaço para entrada de luz e consequentemente desenvolvimento de novas árvores ou até mesmo do banco de sementes.

CREA-RS: Quais critérios são considerados para a realização do manejo florestal?

Eng. Florestal Edison Cantarelli: É necessário conhecer as características ecológicas da floresta, com auxílio do inventário florestal. A partir disso, os sistemas de manejo podem ser mais bem desenhados. Os inventários influenciam na decisão de quais espécies podem ser retiradas, quais precisam ser protegidas dos impactos da exploração (por serem endêmicas, raras ou estarem ameaçadas de extinção), quais árvores permanecerão como porta-semente (para garantir a regeneração da floresta) e quais serão exploradas somente no próximo ciclo de corte. As informações dos inventários devem fornecer, finalmente, os status das espécies (área de ocorrência, tamanho das populações), a identificação correta e suas características ecológicas e genéticas.

CREA-RS: Qual profissional tem habilitação para realização do manejo florestal?

Eng. Florestal Edison Cantarelli: Sem dúvida o Engenheiro Florestal é o profissional mais habilitado para essa atividade tão importante no combate do desmatamento, pois tem em sua formação diversas disciplinas de graduação que embasam o conhecimento necessário para elaborar o plano de manejo florestal de acordo com a legislação nacional.

CREA-RS: Quais são as vantagens econômicas do manejo florestal?
   
Eng. Florestal Edison Cantarelli: A sociedade necessita muito do uso da madeira, principalmente na construção civil, móveis, geração de energia, papel e celulose, etc. As florestas plantadas com espécies exóticas suprem boa parte do consumo de madeira, mas a madeira nativa possui um valor agregado importante para o desenvolvimento econômico em várias regiões do país. A principal vantagem é a sustentabilidade, a madeira é um recurso natural renovável que precisa ser produzido de forma sustentável, e isso somente será possível com o manejo florestal.

CREA-RS: Qual é o papel do manejo florestal na conservação das florestas?
   
Eng. Florestal Edison Cantarelli: O principal papel é manter a floresta em pé, realizando a retirada de árvores maduras – o que possibilita um ganho econômico para o proprietário da área, com o mínimo de impactos ambientais.
Pode-se concluir que a implementação de projetos de manejo florestal não é uma iniciativa focada apenas na exploração madeireira, é também uma forma de conservação do patrimônio natural, geração de renda e inclusão de populações locais, e uma excelente alternativa para o mercado, em termos de sua viabilidade econômica e de resultados mais lucrativos.

 
Voltar