BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
28/04/2021
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
História e avanços da pesquisa com eucalipto no Brasil são tema de livro da Embrapa

“O eucalipto e a Embrapa: quatro décadas de pesquisa e desenvolvimento” (clique para baixar), livro lançado na solenidade de aniversário da Embrapa, faz um resgate das distintas linhas de pesquisa realizadas com o eucalipto, gênero mais utilizado em plantios florestais com fins produtivos no País. 

(clique na imagem para baixar a edição em formato PDF)

(clique na imagem para baixar a edição em formato PDF)

O livro, com mais de mil páginas, lançado no aniversário de 48 anos da Embrapa, traz os resultados de esforços conjuntos de 105 autores na descrição de conhecimentos e tecnologias para o setor florestal brasileiro. Os resultados destas pesquisas têm contribuído para colocar o Brasil como referência na silvicultura de eucalipto e evidenciam o retorno tecnológico gerado pela pesquisa científica para o uso sustentável da terra. 

Com edição técnica dos pesquisadores da Embrapa Florestas Edilson Batista de Oliveira e José Elidney Pinto Júnior, o livro reúne o trabalho de 21 Unidades da Embrapa e conta com texto de apresentação de Antônio Paulo Mendes Galvão, ex-chefe da Embrapa Florestas, e principal articulador da criação desta Unidade da Embrapa. Destaque para o prefácio de Alysson Paolinelli, um dos responsáveis pela criação da Embrapa, e por modernizar e expandir a empresa quando ocupou o cargo de Ministro da Agricultura, na década de 1970. Devido à relevância de sua trajetória para a segurança alimentar mundial, Paolinelli foi indicado para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz 2021. 

O livro reúne 35 capítulos com informações resultantes da pesquisa que se iniciou com o esforço conjunto multi-institucional e que possibilitou que a Embrapa Florestas, no início da década de 1980, buscasse sementes de eucaliptos e corímbias na Austrália e Indonésia, locais de origem do eucalipto, e renovasse, com uma rede inicial com aproximadamente 240 experimentos distribuídos em diversos estados do País, a base genética utilizada hoje em muitas plantações. Aborda, também, as tecnologias que possibilitaram a criação de um sistema de produção altamente inovador, que tornou o Brasil referência mundial em produtividade e silvicultura do eucalipto. 

Conforme destacado pelos editores, a alta produtividade da eucaliptocultura exigiu da própria pesquisa científica reavaliações sobre as questões ambientais. Uma demanda da sociedade, por exemplo, é relacionada aos tipos de impactos ambientais dos plantios de eucalipto em contraponto à sustentabilidade das plantações florestais. A ciência tem mostrado que tais impactos são pequenos em relação aos de outras culturas agrícolas, inclusive apontando diversos serviços ambientais proporcionados pelo cultivo do eucalipto.  Estes pontos são abordados no livro, que trata ainda de  genética, mudanças climáticas, uso do solo, nutrição, serviços ambientais, restauração florestal, geração de renda, abelhas, nanotecnologia, pragas e doenças, sementes, mudas, softwares, geração de energia, integração lavoura-pecuária-floresta, entre diversas informações e referências bibliográficas.

Presente em todos os biomas, o eucalipto possui grande transversalidade e importância para o agronegócio. “Cultivado em propriedades rurais familiares até grandes empresas, tanto em monocultivos como em sistemas integrados, o gênero se tornou o mais plantado no País, gerando milhões de empregos diretos, indiretos e resultantes do efeito-renda, e receita de bilhões de dólares. Diversos serviços ambientais são prestados, com destaque para a captura de gases de efeito estufa e para os vários serviços decorrentes dos sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta, como conforto térmico para o gado, que têm mostrado aumento da rentabilidade econômica pela elevação da produtividade animal e pela produção de madeira. Fundamental é a sua importância na redução da pressão sobre florestas naturais, evitando desmatamentos para obtenção de matéria-prima, em especial madeira para múltiplas finalidades”, destacam os editores.

O livro foi editado em formato digital e está disponível para download gratuito.

Unidades da Embrapa que participam da publicação: Embrapa Acre, Embrapa Agrobiologia, Embrapa Agroenergia, Embrapa Agroindústria de Alimentos, Embrapa Agrossilvipastoril, Embrapa Amazônia Oriental, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Clima Temperado, Embrapa Florestas, Embrapa Gado de Corte, Embrapa Gado de Leite, Embrapa Informática Agropecuária, Embrapa Meio Ambiente, Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Pecuária Sudeste, Embrapa Pecuária Sul, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Embrapa Rondônia, Embrapa Semiárido e Embrapa Solos.

 

 Fonte: Embrapa FlorestasManuela Bergamim (MTb 1951/ES)
 
Voltar