BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
12/04/2019
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
Entender a austeridade da floresta é a chave para oferecer soluções altamente rentáveis para o setor

Imagine, de um lado florestas prontas para a colheita, do outro a indústria, aguardando resultados com bons rendimentos e os menores custos possíveis, e ainda na outra ponta a realidade de um novo mercado, com uma economia cheia de altos e baixos, porém com demanda crescente. Se neste cenário a sua dúvida é de como manter a solidez no ramo, ser economicamente viável, competitivo e conseguir superar os desafios do dia a dia, é importante saber que a sua estratégia começa exatamente na terra. A floresta exige segurança, estabilidade, e acima de tudo autossuficiência. É ali que tudo começa.

Nunca antes na história existiu tanta versatilidade na floresta. A capacidade do PONSSE Beaver evidencia a alta produtividade e novos recordes no Brasil. Campeão de tecnologia na categoria, o PONSSE Beaver é um harvester altamente flexível, indicado para atuarem todas as operações de desbaste. Desenvolvido a partir de soluções simples e robustas que são invariavelmente encontradas em todos os produtos da PONSSE, o Beaver é o equipamento com maior potência hidráulica e mais confiável da categoria. Possui motor Mercedes-Benz de 4 cilindros OM924 com 197 hp. A utilização das gruas PONSSE, as mesmas utilizadas nos equipamentos de maior categoria, permite que o Beaver possa competir até mesmo com equipamentos de maior porte.O chassi curto e o sistema de flutuação do eixo resultam em uma grande agilidade em terrenos acidentados.O PONSSE Beaver é equipado com Grua Paralela C44+ e Cabeçote PONSSE H6 com alta velocidade de alimentação.

A ergonomia e conforto da cabine, incluindo a mobilidade da grua no momento do desbaste,são diferencias importantes para manter o desempenho na floresta.

E foi exatamente por estas qualidades, que a Fuck Compensados, tradicional empresa do estado de Santa Catarina vem superando rapidamente, as antigas limitações durante a colheita. A empresa que cultiva madeira de alta qualidade desde 1968, a FComp, como é mais conhecida, garante destaque no mercado oferecendo compensados exclusivos, toras e lâminas de alta resistência, beleza e atendimento diferenciado. Atualmente, suas florestas ultrapassam 10.000 hectares com mais de 3.500 hectares de área de produção de matéria-prima nobre. São especialistas na produção e entrega de chapas especiais de madeira limpa, mantendo o controle e rastreamento completo de todas as etapas do processo, do plantio a entrega, em tempo real.

“Investimos e dedicamos esforços para a crescente mecanização do plantio à colheita, precisão e seleção de cortes e a estabilidade e constância de fornecimento. Além disso, nossas chapas especiais são usinadas, lixadas, calibradas e livres de nós, garantindo o melhor atendimento ao mercado nacional e internacional, com fluxo contínuo e sustentável, qualidade absoluta e total eficiência”, reforça Felipe Alexandre Fuck, Diretor Florestal da FComp.

“O Beaver otimiza nosso processo de colheita, especialmente por sua flexibilidade para áreas de difícil acesso, mantendo sempre baixo consumo de combustível. Algum tempo atrás, havia necessidade de aumentar nossa produtividade na floresta, vimos o equipamento funcionando e em seguida fizemos a aquisição, uma vez que comparada a produtividade por m³, é excepcionalmente melhor que um harvester de esteira, entre outras qualidades”, reforça o diretor.

“O compromisso com o desenvolvimento de pessoas segue nossa tradição familiar, valorizando àqueles que fazem da nossa missão, seu compromisso diário.Temos orgulho de ser a primeira empresa brasileira a alcançar a excelência da transformação, oferecendo madeira especial de alto padrão”, conclui.

A RAZÃO DA TECNOLOGIA NAS FLORESTAS

Entre as diversas empresas que adquiriram o Beaver Ponsse, está o Grupo Randa. Desde 1982 no setor madeireiro, a empresa familiar de portas, compensados e molduras mantém-se líder no mercado. Localizada em Bituruna região sul do Paraná, a Randa atende o mercado nacional e internacional. Com as mais inovadoras máquinas e equipamentos trabalhando desde o plantio, a colheita da matéria prima ao acabamento dos produtos. Tecnologia empregada durante todo o processo para obter qualidade no produto final.  Atualmente conta com o setor de florestas de pinus que ultrapassa 1200 hectares de efetivo plantio, atende à demanda do mercado com matéria-prima própria e, também adquire de toda região. Atualmente são 600 colaboradores diretos, somando-se ainda os terceirizados e empreiteiros, sendo uma das maiores geradoras de emprego e renda na região.

O foco no mercado nacional é atender desde as menores obras até as maiores empreiteiras do país. Assim foi em 2016, quando atendeu a maior obra já realizada no Brasil, o parque da Vila Olímpica, em que foram fabricadas e instaladas 30 mil portas. Atende no maior segmento de Home Center no Brasil, chegando com facilidade o produto até o consumidor final.

O diretor florestal, Leandro Ranssolin, conta que a tecnologia nas florestas é fundamental nos dias de hoje. “Não podemos esquecer que das florestas sai toda nossa matéria prima, fizemos a aquisição do harvester Beaver para maior produtividade na colheita”. O diretor foi até a Finlândia para fazer essa aquisição da Ponsse. “Foi um grande acerto essa compra, pois está deixando nossas florestas bem conduzidas com qualidade e redução nos custos da colheita”.

“Beaver é o equipamento é ideal para as áreas de desbaste, e embora seja robusto, é muito ágil no seu deslocamento e ainda de fácil operação”. Leandro Ranssolin – Diretor florestal.

“Uma das maiores empregadoras da região Sul do Paraná. Com a crise, focamos 80% na exportação, e atualmente exportamos para os EUA e Europa, chapas de compensado e moldura com a certificação CE4, CE2+PS1, Carb e FSC”, completa o Diretor Corporativo, Guilherme Ranssolin.

 

Fonte: Madeira Total

 
Voltar