BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
24/09/2021
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
ACR promoveu workshop sobre modernização da silvicultura

Na quinta-feira (23) a Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) concluiu mais um Workshop online. Desta vez o tema foi: A modernização da silvicultura: a tecnologia do futuro sendo aplicada agora.

Dividido em dois painéis, o Workshop teve na parte da manhã as palestras focadas em “Atividades no solo”. A mediação foi da engenheira florestal e professora, Dra. Kelen Haygert Lencina. Durante a tarde o painel “Planejamento e controle” teve como mediador o engenheiro florestal e engenheiro de Segurança do Trabalho, Giovani Lazzarotti.

O Workshop Modernização da Silvicultura contou com 13 apresentações, reuniu mais de 50 pessoas, entre profissionais e estudantes, e teve o patrocínio das empresas Bracke Forest, Komatsu, John Deere, Timber e Futuragro Florestal.

ASSOCIADA TIMBER PARTICIPA

Máquinas, equipamentos e serviços para o setor de base florestal estão cada vez mais eficientes e modernos. Para o workshop “A modernização da silvicultura: tecnologia do futuro sendo aplicada agora” da ACR, destaque no tema para a participação da associada Timber. A empresa representa marcas como PONSSE, Sany, Fuchs e recentemente passou a oferecer uma solução com drone da XAG. O diretor da Timber, Jober Fonseca, concedeu entrevista para falar mais a respeito. Confira:

Como a Timber entrou para o setor florestal e o que ela representa hoje para este segmento no Brasil?

A Timber tem no DNA o setor florestal. Iniciamos em 2002, por meio da customização de máquinas florestais para colheita. Fomos pioneiros na transformação de escavadeiras em harvesters na região Sul. É uma expertise de quase 20 anos, que foi sendo aprimorada, e que implementamos nos modelos que fornecemos hoje ao mercado. Acompanhamos e buscamos ser atores importantes na evolução da colheita florestal mecanizada, em especial nos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Ao longo do tempo, agregamos mais soluções ao portfólio para abranger toda a cadeia. Hoje, fornecemos equipamentos de alta performance e baixo custo operacional que atendem a silvicultura mecanizada, colheita, baldeio e movimentação de madeira. Além da tecnologia da informação direcionada ao campo, que melhora o controle e eficiência da operação. Todas estas soluções são respaldadas por grandes marcas e têm suporte incondicional com padrão de qualidade Timber ao cliente.
Este é nosso espírito: busca constante por inovação e soluções que, comprovadamente, trazem resultados. Além do pós-venda que atende às necessidades de nossos clientes no momento e com a qualidade que eles necessitam. Nosso pensamento é seguir evoluindo e trazer, cada vez mais, ao mercado brasileiro as práticas mais modernas e efetivas utilizadas pelo mundo.

Quais as principais soluções que a Timber disponibiliza para o segmento de base florestal?

Fornecemos harvesters de esteira Sany com cabeçote Ponsse, harvesters de pneu e forwarders Ponsse, manipulador de materiais Fuchs e o sistema de monitoramento de frotas Timber Fleet. Isto para a colheita, baldeio e movimentação de madeira. Recentemente, apresentamos uma solução inovadora à silvicultura mecanizada. Trata-se de sistema de correção do solo para o plantio e proteção contra pragas para mudas e árvores realizados por drones da fabricante XAG. É o modelo mais econômico, seguro à saúde humana e preciso de preparação do campo. É a evolução da silvicultura tradicional.
Também realizamos projetos especiais, como no caso da maior máquina florestal em atividade no Brasil. Trata-se do modelo Sany 500F equipado com garra traçadora, um conjunto com mais de 50 toneladas. Foi uma solução customizada para um cliente que necessitava incrementar exponencialmente a produtividade no processamento de eucalipto. O resultado foi excelente.

Como a Timber enxerga o setor florestal em Santa Catarina?

O Estado de Santa Catarina é extremamente representativo para o setor de base florestal. De acordo com o último levantamento divulgado pela ACR, são 828,9 mil hectares de florestas plantadas, que guardam imensa reserva de pinus, gênero que tende a se valorizar ainda mais, já que os plantios comerciais estão restritos somente aos Estados do Paraná e Santa Catarina, praticamente. Outro ponto que favorece os catarinenses é a localização estratégica, que serve de hub de distribuição para todo o Sul e São Paulo. Mas o grande diferencial está na qualidade dos empresários e das empresas dedicadas ao segmento de base florestal. Não é à toa que observamos grandes expansões e crescimento em produtividade em florestas e plantas industriais. Por isto, entendemos a responsabilidade em fornecer suporte para apoiar todo este incremento. Temos confiança que este ritmo vai permanecer para os próximos anos e todos os méritos vão para o setor produtivo, competente e incansável.

Fonte: ACR

 
Voltar