BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
13/10/2017
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
1ª Florestal Tech em Cuiabá

O setor de base florestal é um importante ramo da indústria nacional que envolve uma cadeia produtiva complexa e inúmeros segmentos distintos. Mato Grosso é uma das maiores economias do estado, que gera milhares de empregos diretos e indiretos e contribui de forma significativa para o desenvolvimento econômico e social. Para seguir crescendo e se fortalecendo, aliando produção, lucro e sustentabilidade, o setor demanda constante inovação tecnológica e busca por novos mercados. Para fomentar esses processos, dar visibilidade aos produtos e potenciais da madeira nativa de Mato Grosso e criar um ambiente favorável a novos negócios, o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado do Mato Grosso (Cipem) realizará o 1º Florestal Tech, entre os dias 18 a 20 de outubro de 2017 em Cuiabá (MT).

O evento, realizado em parceria com o Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT), WWF-Brasil e Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), reunirá representantes do setor florestal de Mato Grosso e delegações de várias partes do país e também internacionais para apresentar e discutir as tendências, inovações e oportunidades do setor.

O Florestal Tech será um grande encontro de negócios e irá funcionar como uma verdadeira vitrine para os produtos florestais mato-grossenses, em especial os provenientes do manejo florestal sustentável de madeira nativa. A programação será composta por painéis, palestras, mesas-redondas e exposições sobre novas tecnologias empregadas na madeira e seus potenciais de mercado, com destaque para o uso da madeira na construção civil, nicho defendido pelo Cipem como o futuro do setor florestal no estado a partir da análise do cenário mundial e a crescente demanda por tecnologias ambientalmente sustentáveis.

Para o presidente do Cipem, Rafael Mason, a Florestal Tech é uma oportunidade única para o setor de base florestal do estado. “Teremos em um único lugar formação, informação, exposição de produtos e um ambiente favorável aos novos negócios. Além disso, é uma oportunidade de mostrarmos o setor sob uma nova perspectiva para a sociedade mato-grossense, fortalecendo nossa imagem positiva”, afirmou o empresário.

Serão realizados painéis e debates sobre a tecnologia Woodframe e a Madeira Laminada Colada, com representantes de empresas e pesquisadores da área, que permitirão a atualização e ampliação do conhecimento dos produtores, identificação de oportunidades e novas possibilidades de investimento. Além disso, irão apresentar para a sociedade os benefícios dessas técnicas que se adequam aos conceitos mais modernos de construções sustentáveis.

Um dos objetivos é envolver nessa discussão estudantes, pesquisadores, professores e profissionais das áreas das engenharias florestal e civil, bem como da arquitetura e urbanismo, para fomentar a inovação e o uso da madeira nativa como matéria-prima, visando o mercado do futuro e as exigências crescentes da sociedade por tecnologias verdes.

Nesse sentido, o Florestal Tech também promoverá diariamente em sua programação rodadas de negócios entre os participantes. Nelas, produtores, empresas e compradores poderão conhecer produtos, demandas e alcançar novas oportunidades de negócios. Além disso, serão realizadas formações e oportunidades de qualificação específicas sobre Mercado Externo e Negócios Internacionais aos participantes do evento.

Inscreva-se AQUI e participe da primeira feira do estado voltada para a cadeia produtiva da madeira, conheça as novas tecnologias e soluções para o setor, encontre profissionais, empresários e representantes de grandes mercados em um ambiente favorável a novos negócios. Será uma oportunidade única de atualização e qualificação técnica para os profissionais da área.

Mostra de Arquitetura da Madeira para o Século XXI

Durante o evento, haverá ainda a oportunidade de visitar a mostra de arquitetura da madeira para o século XXI com curadoria do arquiteto Marcelo Aflalo, a exposição itinerante, realizada com apoio do WWF-Brasil, é formada por 21 maquetes que traçam um panorama do emprego do material de maneira sustentável em construções ao redor do mundo e já foi apresentada nos principais espaços e eventos florestais do país.

O objetivo desta iniciativa é ampliar o conhecimento e consolidar a madeira como a matéria-prima do futuro. Além disso, mostrar para a sociedade as possibilidades de uso da madeira em projetos de engenharia e arquitetura, uma vez que seu manejo é reconhecidamente sustentável, por se tratar de um recurso natural renovável, com processo produtivo de baixa emissão de poluentes e que ao final tem alta capacidade de retenção de gases do efeito estufa.

A exposição é dividida em duas partes. A primeira foca no mapeamento dos diversos tipos de madeira e as múltiplas possibilidades de uso e aplicação. A segunda parte é focada no uso inteligente do material de forma que alie a estética e o cuidado com o meio ambiente. Dessa forma, a exposição reforça a aplicabilidade da madeira como elemento prioritário das construções e ajuda a desmistificar a visão de que ela é somente um recurso rústico e decorativo.

Dentre os materiais apresentados, estão as maquetes originais de projetos residenciais que utilizam a madeira em várias cidades do Brasil e alguns projetos feitos inteiramente em madeira ao redor do mundo, incluindo prédio. Vale ressaltar que, enquanto alguns países da Europa exigem que as novas construções tenham alto percentual de madeira em sua construção atendendo aos princípios do Protocolo de Kyoto, no Brasil a madeira ainda é vista erroneamente pela maioria da população como opção temporária ou rústica.

O presidente do Cipem, Rafael Mason, reforça a importância de eventos como o Florestal Tech para que o mercado brasileiro amplie seu conhecimento sobre o tema e se atente a esta tendência mundial. “Com este evento e com a Mostra, queremos contribuir para mudar a percepção comum da madeira como um material de baixa tecnologia, frágil e de baixa durabilidade quando, na verdade, ela é o oposto, com alta tecnologia, industrializável, com baixo custo e totalmente renovável. Temos todas as condições para sermos uma grande potência nessa área. Precisamos trabalhar para isso, investir e inovar”, conclui o empresário.

Sobre o curador – Marcelo Aflalo é formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP) em 1978, designer dom mestrado pela The School of the Art Institute of Chicago. É sócio-fundador da Univers Arquitetura e Designer, que desenvolve trabalhos de arquitetura ambiental desde 1987. É professor da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) de Arquitetura e Urbanismo.

 
Voltar