BibliotecaEventosNotícias da AgeFlorNotícias do Mercado
29/05/2019
Por AGEFLOR
Compartilhar esta notícia
Rio Grande do Sul apresenta nível próximo a zero de desmatamento de Mata Atlântica

O balanço do quarto Encontro Anual das Secretarias de Meio Ambiente da Mata Atlântica, realizado na segunda (27), pela Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), traz resultados positivos para a proteção e a recuperação da vegetação nativa, da água e da vida selvagem. A reunião faz parte da iniciativa “Nova História da Mata Atlântica”, criada pela ONG com o objetivo de estabelecer um compromisso dos secretários de meio ambiente na conservação da Mata Atlântica.

O encontro aconteceu no dia nacional da Mata Atlântica, poucos dias após a divulgação dos dados atualizados sobre desmatamento, com a menor taxa de perda florestal desde o início do monitoramento, realizado em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais há mais de três décadas. O desflorestamentos abaixo de 100 hectares, ou 1 Km² em 9 dos 17 estados da Mata Atlântica e mais 3 estados estão a caminho desse índice, caso do Rio Grande do Sul (171 ha de uma área total de 1.092.336 ha, o que representa uma queda de 15% do desmatamento em relação ao ano anterior).

A assessora técnica Liana Tissiani, que representou a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) no evento, destaca que foram comentados dados atualizados constantes no “Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica”, bem como discutiu-se as iniciativas e programas conduzidos pelos governos federal e estaduais para a conservação do bioma.

Liana participou de mesa-redonda em que pode destacar os programas e ações em desenvolvimento na Sema visando a conservação da biodiversidade e ao bem-estar social no Estado. Dentre elas estão o apoio, incentivo e aprovação de projetos voltados à conservação da biodiversidade e recuperação florestal em áreas prioritárias do bioma; a promoção do uso sustentável da biodiversidade como estratégia de conservação por meio da certificação florestal; sistemas agroflorestais; e operações de fiscalização de desmatamento ilegal.

“Resultados como esse se devem também às ações afirmativas estaduais, onde são compartilhadas experiências em gestão pública que podem ser agregadas às políticas de cada região. Também mostram que compromissos anteriores firmados pelos estados estão sendo cumpridos, como ações de combate ao desmatamento ilegal, de criação de novas áreas protegidas e de recuperação da vegetação nativa”, ressaltou Márcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica.

Além da promoção do turismo em Unidades de Conservação, o Rio Grande do Sul atua fortemente para a regularização fundiária de suas 24 áreas ambientais protegidas. Ano passado, R$ 14 milhões da compensação ambiental por obras de infraestrutura foram investidos para tanto.

Os estados da Mata Atlântica têm ampliado e melhorado o monitoramento do desmate, usando satélites, drones e outras tecnologias disponíveis, além de usado políticas associadas de fiscalização e de educação ambiental.

Clique aqui e acesso o relatório completo

Participaram da reunião:

Alagoas – Carlos Eduardo Gomes Barretto – gerente de Gestão Ambiental e Clima da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos.

Bahia – Rita de Cássia dos Santos Magalhães – chefe de Gabinete da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Ceará – Fernando Bezerra – secretário executivo da Secretaria do Meio Ambiente.

Espírito Santo – Marcos Sossai – gerente do Programa Reflorestar da ‎Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Mato Grosso do Sul – Ricardo José Senna – secretário adjunto de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.

Minas Gerais – Antônio Augusto Melo Malard – diretor geral do Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Paraná – Marcio Fernando Nunes – secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo do Estado.

Pernambuco – José Antonio Berlotti Junior – secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Piauí – Sádia Castro – secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Rio de Janeiro – Eline Matos Martins – subsecretária de Conservação da Biodiversidade e Mudanças do Clima.

Rio Grande do Norte – Robson Henrique Pinto da Silva – coordenador de Meio Ambiente e Saneamento.

Rio Grande do Sul –  Liana Barbizan Tissiani – assessora técnica da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura.

Santa Catarina – Coronel Valdez Rodrigues Venâncio – presidente do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

São Paulo – Marcos Penido – secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente.

Sergipe – Ailton Francisco da Rocha – superintendente de Recursos Hídricos e Meio Ambiente.

Capa-Atlas

“Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica – Relatório Técnico – Período 2017-2018″ – 23/05/2019
ACESSE

Fonte: https://www.sosma.org.br/108432/encontro-secretarios-mata-atlantica/

 
Voltar